Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

Tecnologia Achix
Busca
Busca Avançada
Entrar | Não é cadastrado?
Você está em: Início » Jornal iTEIA » Hard Core & Punk Periférico

Jornal iTEIA

14.10.2014 - 21h28

Hard Core & Punk Periférico

Genêro musical é instrumento de contestação e politização na periferia de Hortolândia

Luciano Medina

ampliar Foto Luciano Medina
Bandas Hard Core da Região de Campinas

Domingueira Hard Core no Reduto da
Música


Mute
the Time (silenciar o tempo ou o silêncio do tempo) nome que dá título ao lançamento
do CD da rapaziada do One Minute Less, banda Hard Core de Piracicaba e que deu
o nome a domingueira no Reduto da Música no Jardim Amanda nesse ultimo fim de
semana. Estiveram também na festa Hard as bandas Aero, Diploma e Box 47.


Além
da apresentação das bandas a domingueira também contou com a exibição da arte
tattoo com o tatuador Lucas Valmor que sorteou uns brindes de para os
interessados em desenhar o corpo.


O movimento


Andantes
da cena Hard Core já um bom tempo Dedos, Alfredo e Tati, três amigos nascidos e
criados no Jardim Amanda, um dos maiores bairros residências da periferia do
Estado de São Paulo com mais de 70 mil habitantes, promoveram o primeiro
encontro Hard Core Punk do bairro. A linguagem rebelde e contestadora do Hard
Core e do Punk deu o tom no domingo à tarde num bairro até então predominado
pelo funk, hip hop, samba e o sertanejo universitário. O Amanda é conhecido por
abrigar uma diversidade regional e cultural bastante interessante, são
moradores vindos de vários lugares do Brasil.


O
lugar da cena Hard Core não poderia ser o outro senão o Reduto da Música,
espaço cultural e de entretenimento da juventude inquieta e politizada da
região. Como se vê, no bairro outras expressões estéticas se manifestam na
medida do tempo e cada uma com suas demandas. A exemplo do Hipo Hop, o Hard
Core encontra melodia e letra para externar suas impressões e sensações do
mundo a sua volta. A quantidade de jovens hard core presentes no Reduto foi o
suficiente para iniciar uma espécie de  reconfiguração do mapa musical do bairro,
amplificando ainda mais o som contestador e a natureza participativa da
população do jardim Amanda nos processos de decisão.


“Como
já corremos a cena Hard Core e Punk um bom tempo, nunca rolou nada aqui no
nosso bairro, nunca fizemos nada, então tivemos a idéia de reunir essas bandas por
aqui. Existe uma idéia equivocada de que o Rock e o Punk é coisa de branco de
classe média” diz Dedos, professor de sociologia e vocalista da banda
Diploma. 


 


Para
o trio Hard Core do Jd. Amanda Alfredo, Dedos e Tati, a tarefa é ocupar os
espaços públicos, compartilhar as idéias e as revoltas, promover uma
desobediência conseqüente por meio de um dos estilos mais atuantes junto à
juventude da periferia. “É possível construir uma cena produtiva e forte, essa
é a idéia” reforça Dedos. A proposta é tornar a iniciativa musical ainda mais
freqüente não só no Amanda, mas em outros bairros da periferia dispara os três. 

Publicado por: Luciano Medina em 14.10.2014 às 21h15
Tags: periferia
Canais: Evento, ComunicaDiversidade

Este conteúdo tem 0 Comentários

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal iTEIA reserva-se no direito de apagar as mensagens.

Deixe um comentário








Parceiros
Cooperação
Integração
Realização
Patrocínio

Ir para o topo