Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

Tecnologia Achix
Busca
Busca Avançada
Entrar | Não é cadastrado?
Você está em: Início » Jornal iTEIA » Educação Visionária

Jornal iTEIA

28.09.2010 - 09h28

Educação Visionária

Debate reúne mais de 200 professores

Alexandre Rolim

ampliar Silvia Schneiders
Plenário do Fórum de Campo Novo do Parecis

O debate “Educação Visionária”, que fez parte da programação do projeto “História no Ponto” no Ponto de Cultura Ninho do Sol, reuniu mais de 200 pessoas, a maioria professores, no Plenário do Fórum de Campo Novo do Parecis na tarde da última sexta-feira, 24.

A Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Patrícia Wolley, mediou as discussões, levantou questionamentos e fez críticas .

Em sua apresentação, Patrícia questionou a idéia de que o índio era dominado e manipulado pelos jesuítas e defendeu que o processo de troca foi recíproco. “A noção de que o índio é facilmente manipulável é mentira. Quando foram procurar os nativos, os jesuítas foram obrigados de algum modo a entrar no universo deles”, disse.
“A relação com os índios ia muito além de uma simples aculturação. Os jesuítas também foram influenciados pela população nativa. Alguns índios se sujeitavam a ficar sob a tutela da Igreja para fugir da escravidão. No Pará e Maranhão, por exemplo, a escravidão indígena superou a negra”, continuou.

Questionada se os jesuítas contribuíram em algo para os indígenas, Patrícia responde: “Eram trocas culturais desiguais? Sim. Mas os jesuítas fizeram um trabalho pioneiro do registro das línguas nativas, por exemplo, foram eles quem começaram a transformar a linguagem oral em escrita”, disparou.

"O binarismo vencedor versus vencido deixa de considerar o indígena como agente histórico ativo. Será que preservar a cultura e a memória das populações indígenas é o mesmo que mantê-las isoladas do mundo exterior?", criticou Patrícia Wooley.

Patrícia lembrou que sua especialidade são os jesuítas do período colonial e relatou que as missões do século XX foram pouco estudadas. Ela parabenizou o Ninho do Sol por estar trabalhando com o tema.

“Nosso objetivo é lançar essa discussão e influenciar as próprias pessoas daqui e de outros lugares a pesquisar mais sobre o assunto e aqui foi dado o pontapé inicial, parabéns ao Ponto de Cultura pela iniciat

Este conteúdo tem 0 Comentários

Neste espaço não serão permitidos comentários que contenham palavras de baixo calão, publicidade, calúnia, injúria, difamação ou qualquer conduta que possa ser considerada criminosa. A equipe do portal iTEIA reserva-se no direito de apagar as mensagens.

Deixe um comentário








Parceiros
Cooperação
Integração
Realização
Patrocínio

Ir para o topo